segunda-feira, 27 de novembro de 2006


naranjo
passo após passo, sem titubear
alcance o final do corredor
tendo só a ti como companhia:
é preciso deixar as vozes quietas
em respeito ao pesar dos dias consumidos
porque por lá muitos passaram
mesmo que totalmente em vão
e eis a sua vez de saber
às preces, a morte não escuta não.

2 comentários:

Sol disse...

Ei, escuta essa música
vem, vem dançar
sorria, você nunca está só
e a morte pode não ter o gosto amargo.

Érika disse...

Lindo texto.