quinta-feira, 16 de novembro de 2006


são pássaros noturnos
cantando tristeza
não são anjos não

são migalhas cuspidas
na tua fé inabalável
não são preces não

(padece em silêncio, pobre coitado)

deus nunca esteve aqui

2 comentários:

Sol disse...

Pobre coitado... Deus sempre esteve aqui e ele nunca conseguiu enxergar pela miopia que o toma.

ana maria costa disse...

Não é uma resposta que se deve dar ao poema que o poeta pretende! mas sim, que o elevemos como poeta que é!